ONDA VERDE

Pesquisar este blog

Páginas

terça-feira, 20 de abril de 2010

QUESTÕES PARA REFLEXÃO DE TODOS

Caros Companheiros e Amigos,

Há alguns dias encaminhei a vocês a entrevista esclarecedora do Deputado Federal Fernando Gabeira do Partido Verde ao JB, centrada em dois pontos fundamentais no meu entender:
Um A questão dos transportes como problema fundamental hoje enfrentada pela nossa população, quantas horas passamos dentro de uma condução em nosso deslocamento casa/trabalho/casa, esse apenas um dos problemas, e que no meu entender está afetando até a saúde de parte de nossa população tanto por problemas neurológicos quanto por problemas de acidentes que vem dia a dia comprometendo a vida dos passageiros e tripulantes das barcas, trens e metrô. E pasmem o atual governo estadual renovou as concessões desses serviços por mais algumas décadas em final de governo.
2 Respostas que devem ser dadas e enfrentadas às mudanças climáticas que estão ocorrendo de forma muito rápida em nosso planeta, e que já atingem nosso Estado incluindo nossa cidade maravilhosa que é litorânea, resultado do aquecimento global que vem causando inúmeras tragédias.
A primeira questão pode ser enfrentada através de atitudes políticas por parte de nossa população, desde manifestações, ações judiciais contra as concessionárias até o posicionamento a ser tomado nas eleições de outubro próximo se colocando radicalmente contra o continuísmo da gestão do poder político em nosso Estado, inclusive contra sua base de apoio no poder legislativo que tem como força principal o PMDB. Nós podemos mudar essa orientação política, precisamos reagir, precisamos refletir sobre programas e propostas, mais não as vazias das mesmas promessas e planos, precisamos de outra atitude de outra forma de pensar o poder e a sociedade em si.
A segunda questão é mais complexa, vai precisar de um amplo movimento de mudanças de atitudes que parta do individual para o coletivo. A terra é o nosso habitat e o homem vem nos últimos cento e cinqüenta anos contribuindo aceleradamente para sua destruição, porém este sobreviverá, quem entrará pelo cano na verdade é a própria espécie humana e outras espécie is animais que não possuem culpa alguma no cartório.
As conseqüências do aquecimento global estão sendo notadas em todo o planeta, diariamente nos colocamos diante de perguntas tais como , poxa nunca tivemos um verão tão quente ou nunca se choveu tanto em poucos dias,e os ventos aumentando de velocidade em nosso país, que num dito popular era abençoada por deus sem terremotos, vulcões ou furacões . Por isso enumero para sua reflexão, não aterrorizando ninguém é claro, algumas conseqüências do aquecimento global:
. Aumento de temperatura do planeta, que está derretendo as camadas polares pondo em risco de extinção várias espécies animais além de elevar o nível das águas dos oceanos o que vai trazer graves problemas as populações que vivem em cidades litorâneas, o Rio de Janeiro precisa estar preparado.
. Aumento de furacões, tufões e ciclones com suas conhecidas catástrofes que eles levam aonde passam, pois com o aumento da temperatura aumenta a evaporação das águas e suas tempestades.
. Aumento de áreas desérticas nas florestas tropicais com a amazônica, provocando a morte de várias espécies de animais e vegetais, além de condenar praticamente a morte as populações indígenas.
. Aumento de várias doenças inclusive ligadas a qualidade do ar, inúmeras doenças respiratórias que vem a cada dia afetando um numero maior de nossa população.
Vou parar por aqui aguardando uma reflexão de todos sobre os temas acima expostos e é claro a contribuição nesse debate, que passa também pelo futuro de nosso Estado, e agradeço aos professores Rocco e Franklim pelas contribuições em nosso encontros,já operava no campo social e agora tento no ambiental.

Pedro Paulo. 20/04/2010
cruz.pedropaulo@uol.com.br
Caso concordem com os temas e queiram expandir o debate , repassem aos seus contatos.

Um comentário:

  1. O sistema de transportes implantado no Rio não atende à crescente demanda de veículos na cidade. Prova disso foi o megaculto religioso no Aterro do Flamengo na última quarta-feira, provocando quilométricas filas de carros por toda Zona Sul e pelo Centro. O poder público, simplesmente, não tem saída para tal problema, e o jeito é fazer paliativos como o Bilhete Único, para ''poupar'' o bolso da população e maquiar um problema sério.
    Quanto à questão ambiental, que, por sinal, foi muito bem lembrada pelo blogueiro, o Rio sentiu na pele a revolta da natureza que demonstra sinais de cansaço perante o descaso do povo e das autoridades. As chuvas do início de abril fizeram centenas de vítimas e ilharam a cidade, e o poder público só agiu depois das tragédias, reassentando moradores de áreas risco quando já deviam ter sido removidos.
    Abraço

    ResponderExcluir